PANTANAL NOTÍCIAS MS

NOTÍCIAS DE CAMPO GRANDE E MATO GROSSO DO SUL

Notícias

Rodadas de negócio e interação entre empresários marcam 5º Fórum do Corredor Bioceânico – CGNotícias

O 5º Fórum de Entes Subnacionais do Corredor Bioceânico de Capricórnio, que aconteceu entre os dias 19, 20 e 21, em Loma Plata, no Paraguai, visou promover a integração, o desenvolvimento sustentável e a investigação de novas oportunidades de investimento. Em paralelo ao evento principal, ocorreu a 2ª edição da conferência empresarial, que trouxe rodadas de negócios e interação entre 45 empresários representantes de todos os países membros.

A primeira edição da conferência aconteceu em 2023 no 4º Fórum, em Iquique, Chile. O encontro apresentou o potencial produtivo do Chaco paraguaio, através das cooperativas Chortitzer, Fernheim e Neuland. Diversas empresas privadas da região e artesãos de Loma Plata, Filadélfia e Mariscal Estigarribia puderam apresentar seus serviços e produtos aos participantes do 5º Fórum.

No campo econômico, o principal objetivo do 5º Fórum de Entes Subnacionais do Corredor Bioceânico, foi promover a integração, o desenvolvimento sustentável e explorar novas oportunidades de investimento. Portanto, o Fórum constituiu uma excelente oportunidade para verificar o andamento dos projetos que compõem a Rota. O evento oficial aconteceu no Centro Cultural Chortitzer em Loma Plata (Paraguai). Já as reuniões temáticas foram realizadas no recinto de exposições da Pioneros del Chaco S.A.

Campo Grande aposta na estratégia de integração cultural e produtiva destacando a magnitude do Corredor Bioceânico. “Esse encontro estabeleceu as bases para um futuro de colaboração e crescimento, onde Campo Grande exercerá um papel de destaque. Considerando que o 6º Fórum será em MS, podemos dizer que o evento foi muito proveitoso, servindo de referência para autoridades e empresários nas mais diversas cadeias produtivas”, afirmou o secretário da Sidagro, Ademar Silva Jr.

A comitiva da Secretaria Municipal de Inovação, Desenvolvimento Econômico e Agronegócio (Sidagro), que representou Campo Grande, também participou de discussões ao lado de representantes do Chile, Argentina e Paraguai, sobre estratégias diplomáticas subnacionais e agendas comerciais e econômicas para o Corredor Bioceânico – uma rota que gera grande expectativa de desenvolvimento nas regiões cortadas pelo empreendimento.

A ministra de Obras Públicas e Comunicações, Claudia Centurión, falou como as obras de infraestrutura estão atraindo investimentos privados para o Paraguai, representando um marco de progresso para todo o Chaco. “A ponte sobre o rio Paraguai será fundamental para atrair empresas multinacionais para a região. O trecho de 220 km que conecta Mariscal Estigarribia a Pozo Hondo, na divisa com Mission la Paz (Argentina), compreende a última parte do complexo viário internacional da Bioceânica no Paraguai”, disse. A obra será executada por quatro consórcios que irão tocar o projeto em duas frentes.

Em um traçado de cerca de 2.400 quilômetros, partindo de Campo Grande, a rota ligará o centro-oeste brasileiro até os mercados da Ásia-Pacífico, passando por Paraguai e Argentina, até chegar aos portos de Antofagasta, Iquique, Mejillones e Tocopilla, no norte do Chile.

Para o gerente de Fomento ao Comércio Exterior, Paulo César Fialho, a principal vocação da região é o agronegócio. “Além de uma produção primária consolidada, já é possível encontrar no Chaco paraguaio investimentos industriais como esmagadora de grãos e de beneficiamento de algodão. Outro ponto de destaque foram as reuniões empresariais, impulsionadas por um setor privado pujante”.

No Paraguai, o percurso tem 532 quilômetros, atravessando o Chaco em três trechos entre a fronteira com o Brasil e os limites territoriais com a Argentina. O primeiro trecho, de 275 quilômetros, de Carmelo Peralta a Loma Plata, já está concluído, enquanto segue em andamento a ligação entre as cidades de Carmelo Peralta, no Paraguai, e Porto Murtinho, no Brasil, com a chamada Ponte da Bioceânica sobre o Rio Paraguai, que atualmente conta com 55% de seu cronograma executado, conforme balanço do Ministério de Obras Públicas e Comunicações (MOPC) do Paraguai.